Quarta-feira, 24 de Junho de 2009

             

A este mundo cheguei
Com vontade de chorar
Depois de ver minha mãe
A vontade era cantar

 

Minha mãe estáva feliz

Agarrou-me com jeitinho

Encostou-me ao seu peito

Mamei o primeiro leitinho

   

O meu primeiro banho
Senti-me muito mimado
Os carinhos eram tantos
Fiquei todo animado
               
Nasci numa casa pobre
Era humilde a casinha
Não importa como era
Eu senti que era minha

 

Minha mãe me embalava
Com pressa para trabalhar
Quantas vezes me cantou
Com vontade de chorar

 

Um pai eu nunca tive
Um pai que não me educou
Enganou a minha mãe
E depois a abandonou

               
 Antonio Assunção       
                               


tags:

publicado por ala-goulinho-poemas às 10:49
A que para ti foi mãe,
para mim foi avó...
Aquela que eu sempre adorei
e que desde que partiu me deixou mais só...

Aquilo que eu mais lamento,
como podem compreender,
foi não ter vindo ao meu casamento
e os bisnetos não ter visto nascer...

Era uma grande mulher
ninguém o pode negar!
Eu nunca a esquecerei
e o seu carinho hei-de sempre recordar!
Sílvia a 27 de Junho de 2009 às 09:22

Silvia , com este lindo poema, estás a fazer concorrência , é lindo o que escreveste ,a minha Mãe, e tua avó, onde estiver, estará de certeza feliz, pelo filho, nora e netos, e bisnetos.
Um beijo do pai que te ama

António Assunção
António Assunção a 6 de Julho de 2009 às 12:45

mais sobre mim
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
25
26
27

28
29
30


pesquisar neste blog
 
Música para sonhar
blogs SAPO