Quinta-feira, 30 de Julho de 2009

       

                        Minha terra é o Goulinho
                        É terra muito antiga
                        Tem gente muito educada
                        Tem gente muito amiga

 

                        Um povo maravilhoso
                        Onde amigos se conhecem
                        Um lugar para repouso
                        Mas que muitos não conhecem

 

                        Em tempo de festejos
                        No Goulinho é enchente
                        O baile é um desejo
                        Onde brinca toda a gente

 

                        Se água quer beber
                        Vá ao nosso chafariz
                        Beber vinho na nossa terra
                        É por baixo do nariz

 

                        Goulinho é deslumbrante
                        Está na serra do Açor
                        No verão o sol é escaldante
                        Goulinho é um primor

 

                        Temos aqui boa gente
                        No Goulinho se mantem
                        Visitam-nos de Lisboa
                        E outras terras tambem

 

                        No Goulinho com amor
                        Continuamos a cantar
                        Ao som do fado corrido
                        É ver o povo a dançar

 

                        Viva a nossa associação
                        Que no Goulinho foi criada
                        A animação é excessiva
                        Com juventude animada

                       
                        Antonio  Assunção


tags:

publicado por ala-goulinho-poemas às 11:55
Segunda-feira, 27 de Julho de 2009

       
                        Eu pensei ir a cavalo
                        À feira de Santarém
                        Minha prima quando soube
                        Quis ir a cavalo também

 

                        Lá fomos os dois andando
                        Mas que linda companhia
                        Ver a prima a cavalgar
                        Deu-me enorme alegria

 

                        Ao chegarmos ao Cartacho
                        Ela encontrou uma amiga
                        Que tambem ia a cavalo
                        Vestida à moda antiga

 

                        Morava em Santarém
                        Tinha um rebanho de gado
                        Gostava de ir a cavalo
                        Juntinho com o namorado

 

                        Fomos os três a cavalo
                        Eu senti-me um aprendiz
                        Fiquei no meio das duas
                        Nem eu sei o que eu fiz

 

                        Encontrei lá outra prima
                        Filha do tio Ramanho
                        Estava desempregada
                        Ela só queria trabalho

 

                        Fomos os três a cavalo
                        Numa quinta em Almeirim
                        Combinámos almoçar
                        Na tasca do Serafim            
                       
                        Acabado o almoço
                        Eu voltei para a minha terra
                        As duas foram a cavalo
                        Para as bandas de Salvaterra

               
                        Antonio  Assunção


tags:

publicado por ala-goulinho-poemas às 11:51
Sexta-feira, 24 de Julho de 2009

           

                        Deus quando criou Adão
                        Criou-o com muita alegria
                        O Adão sentiu-se só
                        A Deus pediu companhia

 

                        Deus é bom e generoso
                        A Adão quis agradar
                        Criou a Eva para Adão
                        Para a Eva o acompanhar

 

                        Deus aos dois se dirigiu
                        Aos dois deu um recado
                        Vivam os dois e trabalhei
                        Eu não quero aqui pecado

 

                        O diabo que é matreiro
                        Veio logo pela manhã
                        Ao ver a Eva sozinha
                        Ofereceu-lhe uma maçã

 

                        Ao ver comer a maçã
                        O Adão ficou  zangado
                        E disse logo para a Eva
                        Cometeste um pecado

 

                        Deus estava no jardim
                        Ao ouvir a discussão
                        Chamou os dois e lhes disse
                        Não vos dou o meu perdão

 

                        Deus ficou muito triste
                        E a eles foi explicar
                        Com o mal do vosso acto
                        Irá o mundo pagar


                        Antonio Assunção


tags:

publicado por ala-goulinho-poemas às 11:48
Sexta-feira, 10 de Julho de 2009

                         

                        Eu não quero o que não é meu
                        O que é dos outros eu rejeito
                        Eu quero pelo que é meu
                        Que tenham o mesmo respeito

 

                        Sempre que encontro um perdido
                        O mesmo é perder o sono
                        Sinto em mim grande desejo
                        De o entregar ao seu dono

 

                        Um pagamento bem feito
                        Deve-se conferir o troco
                        Ficam dois enganados
                        E ás vezes por tão pouco

 

                        Eu gosto de conhecer
                        Gente boa gente honesta
                        É dificil encontrar
                        Dessa já pouco resta

 

                        Aldrabões e vigaristas
                        Há em toda a parte
                        São sempre bons artista
                        São famosos têm arte.

 

                       

Antonio  Assunção      


tags:

publicado por ala-goulinho-poemas às 12:51
Segunda-feira, 06 de Julho de 2009

                             

                        Criança
                        É um ser pequenino
                        Quer brincar
                        Ter amigos
                        Ser amada
                        Ser catita
                        Ser bonita
                        Ter apoio
                        Criança ri
                        E faz rir      
                        Vive
                        E faz viver
                        Aprende
                        Quer aprender
                        Corre e faz correr
                        Pergunta
                        Quer saber
                        Ser criança
                        É ser simpatico
                        Ter esperança
                        Quero ver sempre
                        O sorriso
                        Numa criança

                       


                       

Antonio  Assunção             

tags:

publicado por ala-goulinho-poemas às 12:46
mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
25

26
28
29
31


pesquisar neste blog
 
Música para sonhar
subscrever feeds
blogs SAPO