Domingo, 23 de Janeiro de 2011

Era menina prendada

E tinha três namorados

Um deles era viúvo

Os outros eram casados

 

O povo muito dizia

O povo muito falava

Ela queria namorar

E não queria estar casada

 

Ela pensava num quarto

Até que um dia chegou

Homem velho com experiência

O quarto experimentou

 

Queria sempre a namorar

Mas sempre ás escondidas

Ela roubava os rapazes

A todas as raparigas

 

Os rapazes descobriram

E foi um de cada vez

Dizer á rapariga

Vou-me embora e é de vez

 

Eu só dispenso um

Eu quero os outros três

Namorar todos os dias

Mas só um de cada vez

 

Rapazes endiabrados

Partiram e foi de vez

Já tinha perdido um

Agora perdeu os três

 

Perdi os três, perdi os três

Gritava arrependida

Perdi os três, perdi os três

Não os vou ter mais na vida.

 

António Assunção



publicado por ala-goulinho-poemas às 17:33
Meu carissimo amigo Assunção gsstei do seu poema muito brejeiro mas com sentido do que era a nosa juventude
Agora já não perdem tres se calhar perdenm unma remessa deles
mas é capaz d e ser melhor assim
Um abraço
luis antes a 24 de Janeiro de 2011 às 18:17

mais sobre mim
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

31


pesquisar neste blog
 
Música para sonhar
blogs SAPO